"O Esboço do Calabouço" - É a imagem de um texto que se pretende perfeito, onde o autor nunca há de terminá-lo, e em seu enclausuramento, nunca poderá dele escapar."
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Um site para entender o universo dentro e fora da construção do pensamento artístico.
Textos


Canção manifesto
 
 
Nós somos loucos
e só nós podemos ter certeza disso!
a sociedade é normal e por isso, rimos...
Corremos livres pelas estradas de Morrison
contemplando nossos ídolos num varal colorido
amarrado no cajado de força do mago pinel.
 
alpradiazeloraoxazetemabenzodiazepinas... cérebros em
[espirais contínuas!
 
Vamos contando por léguas decrescentes,
pois a corrida é de “espinhela caída” sem freios
rio abaixo até ganhar força suficiente para voar no espaço.
Hemingway [suicidou-se]
Virginia Woolf [suicidou-se]
Ian Curtis-Kurt-Cobain [suicidaram-se]
Renato Rimbaud Raul [36 37 44]
Ana Cristina Cesar [suicidou-se]
Torquato neto [suicidou-se]
Maiakovski [suicidou-se]
Van Gogh [suicidou-se]
Nietzsche [bipolar]
Edgar Allan Poe [bipolar]
Apple-júpiter
aprovação
Canções de Aretaeus
Augusto
Einstein
Freud
e
Dalí.
[Libertaram-se!]
 
Psicadabra!!! – “Não precisamos de drogas falsas!”
 
Transtornados, salve!
Psicóticos, salve!
Bipolares, salve!
Borderlines, salve!
Esquizofrênicos, salve!
Dissociativos, salve!
Depressivos, salve!
Compulsivos, salve!
Obsessivos, salve!
Doentes mentais,
mais, mais, mais,
ais, ais, ais...
 
divalbuprolítiovolpróicarbamazepina... cérebros em espirais
[contínuas!
 
Olhem para nossas caras e vejam seus narizes vermelhos
refletidos no espelho do seu banheiro ao acordar,
do retrovisor do seu carro,
do banheiro quebrado do bar...
é a sua realidade! Não a nossa...
nós somos loucos!
e não temos limites,
andamos por cima dos fios dos postes
pois estamos tão elevados, que levitamos.
Usamos asas de Nietzsche para o recorte dos mundos,
em cada mergulho no pélago,
resgatamos do oceano profundo a ignorância,
e a preenchemos de sabedoria.
“é kitsch usar kilt, mas a gente curte!”
nós somos especiais para o nosso clube de idiotas –
os grandes hipócrates dos divãs generais.
- “Do que nos importam lorotas escondidas,
se o que nos fascina é o grito da liberdade que não nos cabe
mais?”
o estado foi feito para nos prender, nos oprimir, nos segregar,
nós não nascemos para falir ou matar o estado,
nossa missão é mostrar que existem bundas de todas as cores!
 
“Das drogas que nos controlam, heroína é soro fisiológico!”
 
Em sonhos surrealistas vemos
Medusa e narciso se olharem no cio
dos seus espelhos envenenados;
o desejo de medusa é ter a beleza de Narciso;
Narciso por sua vez, quer a imortalidade de Dorian Gray
congelada no rosto pétreo da bruxa.
E nós dançamos valsas e polcas austríacas
contemplando o ménage perfeito!
 
benpeclozahalopeolanrispequetiapina... cérebros em espirais
continuas!
 
Quem são os loucos?
Os poetas românticos? Malditos?
Os bardos das cantigas de amor e de amigos?
Os excêntricos componentes de bandas de rock?
Os viciados em “art pop”?
São loucos aqueles esquecidos nas cracolândias da vida?
Debaixo das pontes, marquises, viadutos, esquinas?...
Todos nós temos nossas pontes e nossas cracolândias:
“Lugares dentro da gente, onde buscamos soluções rápidas e
[instantâneas.”
São mais loucos os ateus de tudo?, ou os que se acham “salvos”
por seguirem um deus silencioso? Eis a questão.
 
clonazipraciamefluoxetina... Cérebros em espirais contínuas!
 
Sim, somos loucos,
Como foi Nikola Tesla - um obsessivo compulsivo -,
negligenciado pela história,
negligenciado pela ciência,
roubado por Edison,
mas genial, como geniais são todos os loucos que não se
[vulgarizam.
Somos soldados de um exército anárquico,
nós somos capitães de nós mesmos,
nossa guerra não se resume a primeira e a segunda;
nossa guerra é diária!
Elas são batalhas psicológicas extremamente complexas,
infinitas, com poucos aliados, com muitas baixas e muitos altos
e baixos.
Cansaço, cansaço, muito cansaço!
é isso que nos resta a cada vitória.
 
“Das drogas que nos controlam, cocaína é sal de cozinha!”
 
Aqui não existe essa de depressão,
mania,
compulsão,
euforia,
crise,
surto,
enfrentamos tudo juntos!
todos os dias, 24 horas...
podem vir!
na loucura tem espaço para tudo...
até para a sanidade!
como soldado desta guerra,
assino meu nome com meu sangue
nesse manifesto de liberdade,
e, a partir de agora,
crio a minha espetacular
literatura psicótica, minha identidade!


 
Do livro "Canções de Aretaeus" de Agmar Raimundo
 
Link do site para adquirir o livro:
https://viseu.bmkt.me/produto/cancoes-de-aretaeus/ 
Agmar Raimundo
Enviado por Agmar Raimundo em 29/07/2018
Alterado em 30/07/2018


Comentários